terça-feira, 13 de setembro de 2016

Às Vezes o Amor Não é o Bastante (Alcoolismo)


"Baseado na história verídica de Lois Wilson, co-fundadora da Al-Anon, e seu marido, Bill Wilson, co-fundador de Alcoólicos Anônimos. Juntos, os dois promoveram grandes avanços na luta contra o alcoolismo por todo o mundo.

A história revela ainda os bastidores da criação dos "Alcoólicos Anônimos", organização idealizada por Bill e o médico Bob Smith (Frank Moore), ambos ex-alcoólatras, e também como a dedicação quase que exclusiva de Bill ao projeto afetou a vida conjugal ao lado de Lois.

Sobre o A.A: É uma irmandade de homens e mulheres que compartilham suas experiências, forças e esperanças, a fim de resolver um problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo.

O único requisito para se tornar membro, é o desejo de parar de beber.

Para ser membro do A.A não há taxas ou mensalidades; a irmandade se mantem com as próprias contribuições.

O A.A não está ligado a nenhuma religião ou seita, nenhum movimento político, nenhuma organização ou instituição; não deseja entrar em qualquer controvérsia, não apoia nem combate quaisquer causas.

Seu propósito primordial é manter a sobriedade e ajudar outros alcóolicos a alcançarem também a sobriedade.

O alcoólatra é considerado aquele em que se identifica prejuízo social e pessoal em consequência do abuso da bebida, além de sinais de abstinência e dependência do álcool. No entanto, já há algum tempo, as forças estão voltadas a tratar daqueles que possuem características de risco, ou seja, as pessoas que têm tendências a se tornarem dependentes.

Especialistas já apontam para a necessidade de coibir o surgimento de novos alcoólatras, agindo com a conscientização de indivíduos que estão numa linha bem tênue entre o alcoolismo e o “beber socialmente”, termo bastante usado por bebedores em potencial.

Algumas orientações já são amplamente difundidas como saída. De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde – NIH – dos Estados Unidos, quem não quer se tornar um alcoolista deve seguir algumas regras, como estipular uma dose máxima por dia (o ideal é que seja uma para mulheres e duas para homens), evitar beber em casa ou sozinho, tomar água, suco ou refrigerante para dar uma pausa no álcool, são algumas das medidas preventivas para refrear os dipsomaníacos.

Dados do Ministério da Saúde mostram que o hábito de consumir excessivamente bebidas alcoólicas vem crescendo ano a ano no Brasil. Segundo a avaliação, quase 20% dos brasileiros estão entre os que bebem demais.

Em todo o caso, é bom lembrar que beber demasiadamente líquidos com teor alcoólico é prejudicial em vários aspectos. Além de ruir com sua saúde, o álcool causa 50% dos acidentes de trânsito, segundo o DETRAN.

O alcoolismo também é responsável por destruir famílias e a vida social de quem bebe muito também pode ir gargalo abaixo, já que ninguém gosta daquele bêbado chato importunando em qualquer ocasião."

Nenhum comentário:

Postar um comentário