sábado, 26 de novembro de 2016

#DEVOCIONAL (40 DIAS) - UMA VIDA COM PROPÓSITOS [RICK WARREN] - DIA 11


DIA 11

Tornando-se amigo de Deus
 Como tivemos restaurada a nossa amizade com Deus pela morte de seu Filho, enquanto éramos seus inimigos, certamente seremos libertos da punição eterna por meio  de sua vida. (Romanos 5.10; nlt)
Deus quer ser o seu melhor amigo.
O seu relacionamento com Deus tem muitos e variados aspectos: Deus é seu Autor e Criador, Senhor e Mestre, Juiz, Redentor, Pai, Salvador e muito mais. Porém, a mais espantosa verdade é esta: o Deus todo-poderoso anseia ser seu amigo!
No Éden, vemos o relacionamento ideal de Deus para conosco. Adão e Eva desfrutavam de uma amizade íntima com Deus. Não existiam rituais, cerimônias ou religião — apenas um simples e cari­nhoso relacionamento entre Deus e as pessoas que ele criou. Livres de culpas ou medos, Adão e Eva desfrutavam de Deus, e Deus des­frutava deles.
Fomos feitos para viver continuamente na presença de Deus, mas após a queda do homem aquele relacionamento ideal foi perdido. Somente umas poucas pessoas no Antigo Testamento tiveram o privilégio de uma amizade com Deus. Moisés e Abraão foram chamados “amigos de Deus”, Davi foi chamado “um homem segundo o coração de Deus”, e Jó, Enoque e Noé eram amigos íntimos de Deus. Entretanto, medo de Deus, e não amizade, eram mais comuns no Antigo Testamento.
Então Jesus mudou a situação. Quando pagou nossos pecados na cruz, o véu do Templo, que simbolizava nossa separação de Deus, foi rasgado de cima para baixo; indicando que o acesso direto a Deus estava novamente disponível.
Ao contrário dos sacerdotes do Antigo Testamento, que tinham de passar horas se preparando para encontrá-lo, atualmente podemos chegar a Deus a qualquer instante. A Bíblia diz em Romanos 5:11 - Podemos agora exultar em nosso maravilhoso novo relacionamento com Deus — tudo por causa do que nosso Senhor Jesus Cristo fez por nós, tornando-nos amigos de Deus. 
Ter amizade com Deus só é possível por causa da graça de Deus e do sacrifício de Jesus. Tudo isso é feito por Deus, o qual, por meio de Cristo, nos transforma de inimigos em amigos dele. (2 Coríntios 5:18) Um antigo hino diz “Quão bondoso amigo é Cristo”, mas na verdade Deus nos convida a desfrutar da amizade e da companhia das três pessoas da Trindade: nosso Pai (1 João 1:3), o Filho (1 Coríntios 1:9) e o Espírito Santo.(2 Coríntios 13:14) 
Jesus disse: Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que O seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido.  (João 15:15). A palavra utili­zada para “amigo” nesse versículo não significa uma relação superfi­cial, mas um relacionamento íntimo e de confiança. A mesma palavra é usada para se referir ao padrinho de casamento (João 3:29) e ao círculo de amigos íntimos e de confiança de um rei. Em uma corte real, os servos devem manter distância do rei, mas o círculo de amigos de confiança desfruta de proximidade, acesso direto e informações confidenciais.
Que Deus me queira como amigo íntimo é difícil entender, mas a Bíblia diz em Êxodo 34:10  … que […] zela ardentemente pelo relacionamento com vocês.
Deus deseja muito mesmo que o conheçamos profundamente. Na verdade, ele planejou o universo e orquestrou a história, incluindo os detalhes de nossa vida, para que nos tornássemos seus amigos. A Bíblia diz em Atos 17:26-27 que Deus criou toda a raça humana e criou a terra habitável, com fartura de tempo e de espaço, a fim de que pudéssemos buscar a Deus; não só ficar como que apalpando no escuro, mas realmente o encontrar.
Conhecer e amar a Deus é nosso maior privilégio, e sermos conhe­cidos e amados é o maior prazer de Deus. Ele diz: Se alguém quiser se orgulhar, que se orgulhe de me conhecer e de me entender […] Estas são as coisas que me agradam.(Jeremias 9:24)
É difícil imaginar uma amizade íntima entre um Deus perfeito, invisível e onipotente e um ser humano limitado e pecador. Não é tão difícil compreender um relaciona­mento de Mestre para servo, Criador para criatura ou mesmo de Pai para filho; mas o que quer dizer o fato de Deus me querer como amigo? Olhan­do a vida dos amigos de Deus na Bí­blia, aprendemos seis segredos para uma amizade com Deus. Faremos um exame de dois segredos neste capítulo e de mais quatro no próximo.
Tornando-se amigo de Deus
 Conversando constantemente. Você jamais cultivará um relaciona­mento íntimo com Deus apenas indo à igreja uma vez por semana ou mesmo tendo um período de busca diária. Uma amizade com Deus é construída ao partilharmos com ele todas as nossas experiências.
É lógico que é importante estabelecer o hábito de um momento diário consagrado a Deus, mas ele quer mais que um compromisso na sua agenda. Ele quer ser incluído em todas as atividades, todas as con­versas, todos os problemas e até mes­mo em todos os pensamentos. Você pode manter uma conversa contí­nua e ilimitada com ele ao longo do dia, conversando sobre o que quer que você esteja fazendo ou pen­sando no momento. Orem continuamente (1 Tessalonicenses 5:17) significa conversar com Deus enquanto faço compras, trabalho ou realizo qualquer outra tarefa diária.
Um conceito errôneo bastante comum é de que “passar seu tempo com Deus” significa estar sozinho com ele. É claro que, como no exem­plo dado por Jesus, você precisa de um tempo a sós com Deus; mas isso se refere somente a uma parte do período que você passa acordado. Tudo que você faz pode ser “passar seu tempo com Deus”, se ele for convidado para tomar parte e você estiver consciente de sua presença. Um livro clássico sobre como desenvolver uma constante conver­sa com Deus se chama A prática da presença de Deus. Ele foi escrito no século xvii pelo irmão Lourenço, humilde cozinheiro de um monastério francês. O irmão Lourenço era capaz de tornar as mais banais e insignificantes tarefas, como preparar refeições e lavar pra­tos, em atos de louvor e comunhão com Deus. A chave para uma amizade com Deus, ele dizia, não é mudar o que você faz, mas mu­dar a sua atitude em relação ao que faz. Ou seja, o que você
 normal­mente faz por si mesmo comece a fazer por Deus: comer, tomar banho, trabalhar, relaxar ou jogar o lixo fora.
Hoje em dia, freqüentemente sentimos que precisamos “escapar” de nossa rotina para adorar a Deus; mas isso somente porque não aprendemos a praticar sua presença durante todo o tempo. O irmão Lourenço achava fácil adorar a Deus nas tarefas comuns da vida; ele não precisava participar de retiros espirituais especiais.
Isso é o ideal para Deus. No Éden, a adoração não era um evento onde se comparecia, mas uma atitude permanente; Adão e Eva estavam em constante comunhão com Deus. Como Deus está com você durante todo o tempo, nenhum outro lugar é mais próximo dele do que o lugar onde você está neste exato momento. A Bíblia diz em Efésios 4:6 - Ele comanda todas as coisas, está em todos os lugares e em todas as coisas.
Outra das providenciais idéias do irmão Lourenço era fazer continuamente orações curtas e informais ao longo do dia, em vez de tentar realizar longas sessões de orações complexas. Para manter o foco e neutralizar divagações, ele dizia: Não o aconselho a usar uma grande variedade de palavras na oração, visto que longos discursos são freqüentemente motivos para devaneios. Em uma época em que há falta de concentração, essa sugestão com 450 anos de idade para manter a simplicidade parece especialmente importante.
A Bíblia nos diz: Orem continuamente. Como isso é possível? Uma forma é utilizar “orações de um fôlego” ao longo do dia, como muitos cristãos têm feito durante séculos. Você escolhe uma frase curta que pode ser repetida para Jesus em uma respiração: “Tu estás comigo”; “Eu recebo a tua graça”; “Eu dependo de ti”; “Eu quero co­nhecer-te”; “Eu pertenço a ti”; “Ajuda-me a confiar em ti”; Você tam­bém pode usar uma frase curta da Bíblia: “Para que eu viva em Cristo”; “Jamais me deixarás”; “Tu és o meu Deus”. Faça essas orações com a maior freqüência possível, de modo que fiquem profundamente enraizadas no seu coração. Apenas se assegure de que sua motiva­ção é honrar a Deus, e não controlá-lo.
Praticar a presença de Deus é uma habilidade, um hábito que você pode desenvolver. Assim como os músicos praticam escalas diariamente, a fim de tocar belas músicas com facilidade, você deve se obrigar a pensar em Deus em diversos momentos do dia. Você deve treinar sua mente a se lembrar de Deus.
Em primeiro lugar, você irá criar lembretes que restabeleçam re­gularmente a consciência de que Deus está com você naquele mo­mento. Comece dispondo lembretes visuais em torno de si. Você pode escrever pequenos bilhetes dizen­do: “Deus é comigo e por mim neste exato momen­to!”. Os monges beneditinos utilizam o soar de um relógio, que os lembra de hora em hora que devem parar e fazer sua “oração das horas”. Se você tem um relógio ou um telefone celular com alarme, pode proceder da mesma forma. Em alguns momentos você sentirá a presença de Deus, em outros não.
Se você está buscando uma experiência com a presença de Deus por meio de tudo isso, então não compreendeu o sentido disso tudo. Nós não louvamos a Deus para nos sentirmos bem, mas para agir­mos bem. Seu objetivo não é uma sensação, mas uma consciência constante da realidade de que Deus está sempre presente. Esse é o estilo da vida de adoração.
Através da meditação contínua. A segunda forma de estabelecer amizade com Deus é pensar na sua Palavra durante todo o dia. Isso se chama medi­tação, e a Bíblia nos exorta repetidamente a me­ditar sobre quem Deus é, o que ele fez e o que ele disse. (Salmos 23:4; 143:5; 145:5; Josué 1:8 e Salmos 1:2)
É impossível ser amigo de Deus deixando de lado o conhecimento do que ele diz.Você não pode amar a Deus a não ser que o conheça, e não pode conhecê-lo sem conhecer sua Palavra. A Bí­blia diz em 1 Samuel 3:2 que Deus se manifestava a Samuel […] pela palavra do Se­nhor, e Deus ainda hoje utiliza esse mesmo método.
Embora você não possa passar o dia inteiro estudando a Bíblia, pode pensar a seu respeito ao longo do dia, recordar os versículos que leu ou decorou e refletir sobre eles.
A meditação é freqüentemente mal-interpretada como algum ri­tual misterioso e complicado, praticado por ascetas e monges isola­dos. Mas meditar é simplesmente concentrar os pensamentos — uma habilidade que pode ser adquirida por qualquer pessoa e posta em prática em qualquer situação.
Quando você se mantém pensando repetidamente sobre um pro­blema, isso se chama preocupação. Quando você se mantém pen­sando repetidamente na Palavra de Deus, isso se chama meditação. Se você sabe se preocupar, já sabe meditar! Basta que você desvie a atenção dos seus problemas para os versículos bíblicos. Quanto mais você meditar na Palavra de Deus, menores serão suas preocu­pações.
A razão pela qual Deus considerava Jó e Davi amigos íntimos era o fato de eles valorizarem a sua Palavra acima de qualquer coisa e de pensarem nela continuamente durante todo o dia. Jó reconheceu: Dei mais valor às palavras de sua boca do que ao meu pão de cada dia. (Jó 23;12) Davi disse: Como eu amo a tua lei! Medito nela o dia inteiro (Salmos 119:97) Elas estão constantemente em meus pensamentos. Não consigo pa­rar de pensar nelas.(Salmos 77:12)
Amigos dividem segredos, e Deus irá partilhar com você os seus segredos, se você desenvolver o hábito de pensar em sua Palavra do princípio ao fim do dia. Deus contou seus segredos a Abraão e fez o mesmo com Daniel, Paulo, os discípulos e outros amigos. (Gênesis 18:17; Daniel 2:19; 1 Coríntios 2:7-10)
Quando você ler a Bíblia ou ouvir um sermão ou uma fita, não cometa o erro de simplesmente “deixar para lá” e seguir em frente. Desenvolva a prática de ficar revisando a verdade em sua mente, pensando continuamente sobre ela. Quanto mais tempo você repas­sar o que Deus disse, mais compreenderá os “segredos” desta vida que muitas pessoas deixam escapar. A Bíblia diz em Salmos 25:14 - O Senhor é amigo chegado de quem o respeita e lhe obedece. A essas pessoas Ele revela os segredos de seus planos.
No próximo capítulo, veremos mais quatro segredos sobre como cultivar amizade com Deus, mas não espere até amanhã. Comece ainda hoje a praticar uma conversa constante com Deus e a meditar continuamente na sua Palavra. As orações permitem que você fale com Deus; as meditações permitem que Deus fale com você. Ambas são essenciais para se tornar amigo de Deus.
Décimo Primeiro Dia -Pensando sobre meu propósito
 Um tema para reflexão: Deus quer ser meu melhor amigo.
 Um versículo para memorizar: O Senhor é amigo chega­do de quem o respeita e lhe obedece (Salmos 25.14a; bv).
 Uma pergunta para meditar: O que posso fazer para me lembrar de pensar mais sobre Deus e falar com ele mais freqüentemente ao longo do dia?
Trecho do Livro - Uma Vida Com Propósitos: Devocional - Rick Warren .

Nenhum comentário:

Postar um comentário