sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

DEVOCIONAL (40 DIAS) - UMA VIDA COM PROPÓSITOS [RICK WARREN] - DIA 17

Dia 17
Um lugar ao qual pertencer

Agora vocês […] são […] membros da própria família de Deus e cidadãos do país de Deus, e pertencem à casa de Deus como todos os outros cristãos. (Efésios 2.19; bv)

A família de Deus é a igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade. (1 Timóteo 3.15; gwt)

Você é chamado para participar, não somente para crer.

Mesmo no mais perfeito e imaculado ambiente do Éden, Deus disse: Não é bom que o homem esteja só. (Gênesis 2.18) Fomos criados para viver em comunidade, moldados para o companheirismo e formados para uma família; e nenhum de nós pode cumprir os propósitos de Deus sozinho e sem ajuda.

A Bíblia não apresenta nenhum santo solitário ou eremita espiri­tual que vivesse isolado dos outros crentes, privado de companhia. A Bíblia diz que fomos ajuntados, reunidos, juntamente edificados, juntamente tornados membros, juntamente feitos herdeiros, combi­nados, mantidos juntos e que seremos juntamente arrebatados. (1 Coríntios 12.12; Efésios 2.21,22; 3.6; 4.16; Colossenses 2.19; 1 Tessalonicenses 4.17) Você não está mais por conta própria.

Embora seu relacionamento com Cristo seja pessoal, Deus nunca quis que fosse particular. Na família de Deus, você está unido a todos os outros crentes, e faremos parte uns dos outros por toda a eternidade. A Bíblia diz em Romanos 12.5 - Em Cristo nós, que somos muitos, forma­mos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros.

Seguir a Cristo inclui integrar, não apenas acreditar. Somos mem­bros de seu corpo — a igreja. C. S. Lewis observou que a palavra “membro” é de origem cristã, mas foi esvaziada de seu significado original. Lojas oferecem descontos a “membros”, e os anunciantes usam os nomes desses membros para criar listas de mala-direta. Nas igrejas, tornar-se membro significa simplesmente adicionar o seu nome a uma lista, sem nenhum requisito ou expectativa.

Para Paulo, ser “membro” da igreja significava ser um órgão vital de um corpo vivo, parte indispensável e interconectada a todo o corpo de Cristo.(Romanos 12.4,5; 1 Coríntios 6.15; 12.12-27) Precisamos restabelecer e praticar o significado bí­blico dessa palavra. A igreja é um corpo, não um edifício; um orga­nismo, não uma organização.

Para que os órgãos de seu corpo cumpram o seu propósito, eles precisam estar conectados ao corpo. O mesmo ocorre com você como parte do corpo de Cristo. Você foi criado para uma função específica, mas irá perder esse segundo propósito para a sua vida se não estiver agregado a uma igreja local. Você descobre o seu papel nesta vida pelo relacionamento com os outros. A Bíblia diz: Cada parte tem seu sentido no corpo como um todo, e não ao contrário. O corpo de que falamos é o corpo de Cristo, formado pelos escolhidos. Cada um de nós acha o seu sig­nificado e função como membro desse corpo. Mas, como um dedo amputado ou um dedão arrancado não somos grande coisa, não é mesmo? (Romanos 12.4,5)

Se um órgão é de alguma forma desligado do corpo, ele murcha e morre. Ele não pode existir por si mesmo, nem você. Desligado e arrancado do sangue vital da igreja local, sua vida espiritual fenece e acaba por deixar de existir.(Efésios 4.16) É por isso que o primeiro sintoma de declínio espiritual é normalmente o comparecimento irregular aos cultos e a outras reuniões. Sempre que nos tornamos descuidados com a igreja, todo o resto também começa a desmoronar.

Ser membro da família de Deus não é irrelevante, nem é algo a ser despreocupadamente desconsiderado. A igreja é o plano de Deus para o mundo. Jesus disse: Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.(Mateus 16.18) A igreja é indestrutível e existi­rá eternamente. Ela sobreviverá ao universo, assim como sua função nele. A pessoa que diz “Eu não preciso da igreja” é tanto arrogante quanto ignorante. A igreja é tão importante que Jesus morreu na cruz por ela. Cristo amou a igreja e entregou-se por ela.(Efésios 5.25)

A Bíblia chama a igreja de “a noiva de Cristo” e de o corpo de Cristo.(2 Coríntios 11.2; Efésios 5.27; Apocalipse 19.7) Eu não posso imaginar alguém dizendo para Jesus “Eu te amo, mas não gosto de tua esposa”. Ou: “Eu te aceito, mas rejeito teu corpo”. Mas é isso que fazemos quando desprezamos e depreciamos a igreja, ou reclamamos dela. Em vez disso, Deus nos manda amar a igreja, tanto quanto Jesus a amou. A Bíblia diz em 1 Pedro 2.17b Amem a sua família espiritual. Lamentavelmente, muitos cristãos usam a igreja, mas não a amam.

Sua comunidade local

Salvo em poucas e importantes exceções, como quando alude a to­dos os crentes ao longo da história, quase todas as vezes que a palavra “igreja” é utilizada na Bíblia, ela se refere a uma congregação visível e local. O Novo Testamento parte do princípio de que o membro pertence à congregação local. Os únicos cristãos que não pertenciam a grupos locais eram aqueles sob a disciplina da igreja, os quais eram removidos de entre a irmandade por causa de pecados públicos flagrantes.(1 Coríntios 5.1-13; Gaiatas 6.1-5)

A Bíblia diz que o cristão sem igreja local é como o órgão sem o corpo, a ovelha sem o rebanho ou a criança sem a família. É uma situação anormal. A Bíblia diz em Efésios 2.19b: … e pertencem à casa de Deus como todos os outros cristãos.

Os valores de hoje, que advogam a independência e o individualis­mo, criaram muitos órfãos espirituais — o “crente-coelho”, que fica saltando de uma igreja para outra, sem filiação, responsabilidade ou compromisso. Muitos crêem que é possível ser um “bom cristão” sem estar unido [ou mesmo sem freqüentar) uma igreja local, mas Deus discordaria veementemente. A Bíblia oferece muitas razões irrefutáveis para sermos ativos e comprometidos em uma comunidade local.

Por que você precisa da família eclesiástica?

A família eclesiástica o identifica como crente autêntico. Não posso afirmar que sou um seguidor de Cristo se não sou comprometido com um grupo específico de discípulos. Jesus disse: O amor de vocês uns pelos outros irá provar ao mundo que vocês são meus discípulos.(João 13.35)

Quando em amor, reunimo-nos como uma família na igreja, com diferentes formações, raça e status social, levamos ao mundo um poderoso testemunho.(Gálatas 3.28 e João 17.21) Você não é o corpo de Cristo isoladamente; você precisa de outros para expressar essa condição. Juntos, e não separados, somos o seu corpo.

A família eclesiástica o retira do isolamento egoísta. A igreja local é a sala de aula onde você aprenderá a se relacionar com a família de Deus. É o laboratório para a prática do altruísmo e do amor compassivo. Como membro ativo, você aprende a se interessar pelos outros e a partilhar suas experiências: Se uma parte do corpo sofre, as demais partes sofrem com ela. Ou, se uma parte é honrada, as demais compartilham de sua honra.(1 Coríntios 12.26) Somente pelo contato regu­lar com crentes comuns e imperfeitos podemos aprender o verdadei­ro companheirismo e experimentar a verdade do Novo Testamento: ser unidos e dependentes uns dos outros.(Efésios 4.16; Romanos 12.4,5; Colossenses 2.19; 1 Coríntios 12.25)

O companheirismo bíblico compreende sermos tão comprometi­dos uns com os outros quanto o somos com Jesus Cristo. Deus espe­ra que entreguemos nossa vida uns pelos outros. Muitos cristãos que conhecem João 3.16 são alheios a 1 João 3.16: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos. Esse é o tipo de amor sacrificial que Deus espera que você demonstre aos outros crentes — uma disposição para amá-los da mesma forma que Jesus o amou.

Fazer parte da igreja ajuda a desenvolver músculos espiritu­ais. Você jamais chegará à maturidade apenas comparecendo aos cultos de adoração como espectador passivo. Somente a plena parti­cipação nas atividades da igreja local desenvolve músculos espiri­tuais. A Bíblia diz em Efésios 4.16b: À medida que cada parte realiza o seu trabalho, ela coopera para o crescimento das outras partes, para que todo o corpo esteja saudá­vel, crescendo e cheio de amor.

As expressões “uns com os outros” e “entre si” são usadas mais de cinqüenta vezes no Novo Testamento. Somos ordenados a amar uns aos outros, a orar uns pelos outros, a incentivar uns aos outros, a admoestar uns aos outros, a saudaruns aos outros, a servir uns aos outros, a ensinar uns aos outros, a aceitar uns aos outros, a honrar uns aos outros, a carregar os fardos uns dos outros, a perdo­ar uns aos outros, a nos submeter uns aos outros, a ser dedicados uns aos outros, além de muitas outras obrigações mútuas. Isso é ser um membro, do ponto de vista bíblico! Essas são suas “responsabili­dades familiares”, que Deus espera que você cumpra na comunidade local. Com quem você vem agindo dessa forma?

Pode parecer mais fácil ser santo quando não há mais ninguém por perto para frustrar suas preferências, mas essa é uma santidade falsa. O isolamento produz a falácia; é fácil nos enganarmos pen­sando sermos maduros quando não há ninguém para nos contestar. A verdadeira maturidade se manifesta nos relacionamentos.

Precisamos mais do que a Bíblia para crescer; precisamos de ou­tros crentes. Crescemos mais fortes e mais rapidamente aprendendo uns com os outros e sendo responsáveis uns pelos outros. Quando os outros compartilham o que Deus os está ensinando, também apren­demos a progredir.

O corpo de Cristo precisa de você. Deus tem uma função espe­cífica para você desempenhar na sua família. Isso se chama “minis­tério”, e Deus lhe concedeu talentos para esta missão: Um dom espiritual é dado a cada um de nós, visando ajudar a toda a igreja.(1 Coríntios 12.7) A comunidade local é o lugar que Deus planejou para que você descobrisse, desenvolvesse e utilizasse seus talentos. Você até pode ter um ministério mais amplo, mas adicionalmente ao seu serviço no corpo local. Jesus não prometeu edificar seu ministério; prome­teu edificar a igreja dele.

Você participará na missão de Cristo no mundo. Enquanto Je­sus andou sobre a terra, Deus trabalhou por meio do corpo físico de Cristo; nos dias de hoje, ele usa seu corpo espiri­tual. A igreja é o instrumento de Deus na terra. Não devemos apenas ser exemplo do amor de Deus ao nos amarmos uns aos outros; devemos transmiti-lo em conjunto para o resto do mun­do. Esse é um privilégio incrível que foi concedi­do a todos nós. Como membros do corpo de Cristo, nós somos suas mãos, seus pés, seus olhos e seu coração. Ele trabalha no mundo por meio de nós, e cada um de nós tem uma contribuição a dar. Paulo nos diz em Efésios 2.10: Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos.

A família de Deus irá impedi-lo de decair

Nenhum de nós está imune à tentação. Nas circunstâncias apropriadas, você e eu somos capazes de qualquer pecado.(1 Coríntios 10.12; Jeremias 17.9; 1 Timóteo 1.19). Deus sabe disso, então nos atribuiu individualmente a responsabilidade de mantermos uns aos outros no caminho certo. A Bíblia diz em Hebreus 3.13: Encorajem-se uns aos outros todos os dias […] de modo que nenhum de vocês seja endurecido pelo engano do pecado.“Não é da sua conta” não é uma frase cristã. Somos chamados e ordenados a nos envolver na vida uns dos outros. Se você conhece pessoas que estão vacilando espiritualmente neste exato momento, é sua a responsabilidade de ir atrás delas e trazê-las de volta para a comunhão. Tiago nos diz: Se vocês conhecerem pessoas que se desviaram da verdade de Deus, não as desprezem. Procurem-nas e tragam-nas de volta.(Tiago 5.19)

Um benefício correlato da igreja local é que ela também proporci­ona a proteção espiritual de líderes devotos. Deus dá aos pastores a responsabilidade de guardar, proteger, defender e cuidar do bem estar espiritual de seus fiéis.(Atos 20.28,29; 1 Pedro 5.1-4; Hebreus 13.7,17). Foi-nos dito em Hebreus 13.17: A responsabilidade de­les é zelar por suas almas, e eles sabem que devem prestar contas disso a Deus.

Satanás adora crentes afastados, desligados da vida no corpo, isolados da família de Deus e incompreensíveis para os líderes espirituais; porque ele sabe que eles são indefesos e impotentes contra suas estratégias.

Está tudo na igreja

Em meu livro Uma igreja com propósitos, explico como ser parte de uma igreja saudável é essencial para levar uma vida saudável. Espero que você também leia esse livro, pois ajudará a compreender como Deus planejou sua igreja especificamente para auxiliá-lo a cumprir os cinco propósitos que ele tem para sua vida. Ele criou a igreja para satisfazer suas cinco necessidades mais cruciais: um propósito para o qual viver, pessoas com quem viver, princípios pelos quais viver, uma profissão para se sustentar e força para seguir vivendo. Não há nenhum outro lugar na terra em que você possa achar esses cinco benefícios em um só lugar.

Os propósitos de Deus para sua igreja são idênticos aos cinco propósitos que ele tem para você. A adoração o ajuda a se concen­trar em Deus, a comunidade ajuda-o a enfrentar os problemas da vida, o discipulado ajuda a fortificar a sua fé, o ministério ajuda a descobrir seus talentos e o evangelismo ajuda a cumprir sua missão. Nesta terra, não há nada como a igreja.

Sua escolha

Sempre que uma criança nasce, torna-se automaticamente parte da família universal dos seres humanos. Mas essa criança também se torna membro de uma família específica, onde será nutrida, cuidada e crescerá forte e saudável. O mesmo ocorre do ponto de vista espiri­tual. Quando você nasce de novo, torna-se automaticamente parte da família universal de Deus, mas também precisa se tornar membro de uma versão local da família de Deus.

A diferença entre visitar a igreja e ser membro da igreja está no comprometimento. Visitantes são espectadores que ficam à parte; membros se envolvem no ministério. Visitantes consomem; membros contribuem. Visitantes querem os benefícios que a igreja traz, sem participar das responsabilidades. São como casais que querem viver juntos sem se casar.

Por que é importante se juntar a uma igreja local? Porque isso prova que você está de fato comprometido com seus irmãos e irmãs espirituais, não somente de forma teórica. Deus quer que você ame pessoas reais, e não pessoas ideais.Você pode passar a vida inteira buscando a igreja perfeita, porém jamais irá encontrá-la. Você foi chamado para amar pecadores imperfeitos, assim como Deus faz.

Em Atos dos Apóstolos, os cristãos de Jerusalém eram bem espe­cíficos em seus compromissos uns com os outros. Eles eram dedica­dos à comunidade. A Bíblia diz em Atos 2.42: Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Hoje, Deus espera que você se comprometa com as mesmas coisas.

A vida cristã é mais do que apenas um compromisso com Cristo; ela inclui compromisso com os outros cristãos. Os cristãos da Macedônia compreenderam isso. Paulo disse em  2 Coríntios 8.5: Primeiro, eles deram a si mesmos ao Senhor e depois, pela vontade de Deus, eles se deram a nós também. Tornar-se membro de uma igreja local é o passo que vem naturalmente a seguir, uma vez que você tenha se tornado filho de Deus. Você se torna cristão ao se comprometer com Cristo, mas se torna membro de uma igreja ao se comprometer com um grupo espe­cífico de crentes. A primeira decisão traz a salvação, a segunda traz a comunhão.

Décimo Sétimo Dia -Pensando sobre meu propósito

Um tema para reflexão: Sou chamado para participar, não para apenas crer.

Um versículo para memorizar:… assim também em Cris­to nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros(Romanos 12.5; nvi).

Uma pergunta para meditar: Meu nível de envolvimento em minha igreja local demonstra que amo e estou com­prometido com a família de Deus?

Trecho do Livro - Uma Vida Com Propósitos: Devocional - Rick Warren .

Nenhum comentário:

Postar um comentário