quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

DEVOCIONAL (40 DIAS) - UMA VIDA COM PROPÓSITOS [RICK WARREN] - DIA 22

DIA 22
Propósito n.° 3

VOCÊ FOI CRIADO PARA SE TORNAR SEMELHANTE A CRISTO

Deixem que as raízes de vocês se aprofundem nele e extraiam dele a nutrição. Cuidem de continuar a crescer no Senhor, e tornem-se fortes e vigorosos na verdade. E que a vida de vocês transborde de alegria e gratidão por tudo quanto Ele tem feito. (Colossenses 2.7; bv)

Deus já sabia o que ele faria desde o início. Ele decidiu desde o princípio moldar a vida daqueles que o amam com os mesmos parâmetros da vida de seu Filho […] Nele, vemos a forma original planejada para nossa vida. (Romanos 8.29; Msg)

Olhamos para o seu Filho, e vemos o verdadeiro propósito de Deus em tudo que foi criado. (Colossenses 1.15; Msg)

Desde o princípio, o plano de Deus tem sido fazê-lo à semelhança de seu Filho, Jesus. Esse é o seu destino e o terceiro propósito para sua vida. Deus anunciou sua intenção na criação: Então disse Deus: Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança.( Gênesis 1.26)

Em toda a criação, somente o homem foi feito “à imagem de Deus”. Esse é um grande privilégio, que nos honra sobremaneira. Não sabe­mos tudo que essa frase abrange, mas conhecemos alguns dos aspec­tos que ela inclui: tal como Deus, somos seres espirituais — nosso espírito é imortal e sobreviverá ao nosso corpo terreno; somos inteli­gentes — podemos pensar, ponderar e solucionar problemas; como Deus, nós nos relacionamos — podemos dar e receber amor verdadei­ro e somos dotados de consciência moral — podemos discernir entre o certo e o errado, o que nos torna responsáveis diante de Deus.

A Bíblia diz que todas as pessoas, e não apenas os crentes, detêm parte da imagem de Deus; esse é o motivo pelo qual o assassinato e o aborto são errados. (Gênesis 9.6; Salmos 139.13-16 e Tiago 3.9.) Mas a imagem está incompleta, tendo sido danificada e distorcida pelo pecado. Então Deus enviou Jesus para restaurar a plena imagem que havíamos perdido.

Com o que se parece a plena “imagem e semelhança” de Deus? Ela se parece com Jesus Cristo! A Bíblia diz que Jesus é a imagem de Deus, a imagem do Deus invisível e a expressão exata do seu ser.(2 Coríntios 4.4; Colossenses 1.15 e Hebreus 1.3).

As pessoas usam freqüentemente a expressão “Tal pai, tal fi­lho”, para se referir à semelhança familiar. Quando as pessoas vêem minha imagem em meus filhos, isso me agrada. Deus também quer que seus filhos tenham sua imagem e semelhança. A Bíblia diz em Efésios 4.24: [Você foi] criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade. Deixe-me ser absolutamente claro: você jamais se tornará igual a Deus, ou mesmo a um deus. Essa mentira arrogante é a mais antiga tentação de Satanás. Satanás prometeu a Adão e Eva que, se seguis­sem seu conselho, seriam como Deus. (Gênesis 3.5) Muitas religiões e filosofias da Nova Era ainda promovem esta velha mentira: que somos divinos ou que podemos nos tornar deuses.

O desejo de ser um deus manifesta-se todas as vezes que tenta­mos controlar nossas circunstâncias, nosso futuro e as pessoas ao redor. Mas como criaturas jamais seremos o Criador. Deus não quer que você se torne um deus; ele quer que você se torne santo — que assuma valores, atitudes e caráter próprios dele. A Bíblia diz em Efésios 4.22: Bus­quem uma maneira completamente nova de viver — uma vida mol­dada por Deus, uma vida renovada no interior e que se demonstre na conduta de vocês, à medida que Deus reproduz detalhadamente o caráter dele em vocês.

O supremo objetivo de Deus para sua vida na terra não é o confor­to, mas o desenvolvimento de seu caráter. Ele quer que você cresça espiritualmente e se torne semelhante a Cristo. Tornar-se semelhante a Cristo não significa perder a perso­nalidade ou se tornar um clone autô­mato. Deus criou em você um caráter único; logo, logicamente não quer des­truí-lo. O cristianismo ocupa-se da transformação do caráter, não da personalidade.

Deus quer que você desenvolva o tipo de caráter descrito nas bem-aventuranças de Jesus,(Mateus 5.1-12) nos frutos do Espírito,(Gálatas 5.22,23) no grande capítulo de Paulo sobre o amor (1 Coríntios 13) e na lista de Pedro das características de uma vida produtiva e eficiente.(2 Pedro 1.5-8) Toda vez que esquece que o caráter é um dos propósitos de Deus para sua vida, você se torna frustrado pela situação que o cerca. Você pensa consigo mesmo: “Por que isso está acontecendo comigo? Por que estou passando por momentos tão difí­ceis?”. A resposta é que a vida deve ser difícil! É isso que nos possibi­lita crescer. Lembre-se de que a terra não é o céu!

Muitos cristãos interpretam erroneamente a promessa de Jesus de vida em abundância,( João 10.10) como se fosse saúde perfeita, estilo de vida confortável, felicidade constante, plena realização dos sonhos e o alívio instantâneo dos problemas por meio da fé e da oração. Em poucas palavras, esperam que a vida cristã seja fácil; esperam que o céu seja na terra.

Essa perspectiva voltada para si mesmo trata Deus como se fosse o gênio da lâmpada, que existe tão-somente para nos servir em nos­sa busca egoísta de realização pessoal. Mas Deus não é nosso criado, e, caso nos deixemos levar pela idéia de que a vida deve ser fácil, ou ficaremos grandemente desa­pontados, ou viveremos nos recusando a acei­tar a realidade.

Nunca se esqueça de que a vida não gira em torno de você! Você existe para os propósi­tos de Deus, e não o contrário. Por que Deus lhe proporciona um céu sobre a terra, quando ele já planejou o verdadeiro céu para você na eternidade? Deus nos dá o nosso tempo na ter­ra para construirmos e fortalecermos nosso cará­ter para o céu.

A obra do Espírito Santo de Deus em você

É tarefa do Espírito Santo produzir um caráter semelhante ao de Cristo em você. A Bíblia diz em 2 Coríntios 3.18b: Conforme o Espírito do Senhor opera em nós, tornamo-nos mais e mais como ele e refletimos sua glória cada vez mais. O processo de transformação pelo qual nos tornarmos mais semelhantes a Jesus é chamado santificação; e esse é o terceiro propósito de sua vida sobre a terra.

Você não pode reproduzir o caráter de Jesus por seus próprios esforços. Decisões de Ano Novo, força de vontade e as melhores in­tenções não são suficientes. Somente o Espírito Santo tem o poder de realizar as transformações que Deus deseja para nossa vida. A Bíblia diz em Filipenses 2.13: Deus está operando em vocês, dando-lhes o desejo de obedecê-lo e o poder para fazer o que lhe agrada.

Mencione “o poder do Espírito Santo”, e muitas pessoas imagi­nam manifestações miraculosas e emoções intensas. Mas na maioria das vezes o poder do Espírito Santo é liberado na sua vida de manei­ra tranqüila e despretensiosa, de modo que você nem se dá conta, nem tem nenhuma sensação. Ele freqüentemente nos toca com uma brisa suave.(1 Reis 9.12).

As características de Cristo não são produzidas por imitação, mas por habitação. Nós permitimos que Cristo viva através de nós. Pois este é o segredo: Cristo vive em vós.(Colossenses 1.27) E como isso acontece na vida real? Pelas escolhas que fazemos. Nós escolhemos fazer a coisa certa nas diversas situações de nossa vida e confiamos no Espírito Santo de Deus para nos dar força, amor, fé e sabedoria para fazê-la. Uma vez que o Espírito de Deus vive dentro de nós, essas coisas estão sempre à disposição quando pedidas.

Devemos cooperar com o trabalho do Espírito Santo. Por toda a Bíblia vemos uma importante verdade ilustrada repetidamente: o Espírito Santo libera poder no momento em que você dá um passo de fé. Quando Josué se defrontou com um obstáculo intransponível, as águas transbordantes do rio Jordão recuaram somente depois que os líderes pisaram na água corrente em obediên­cia e fé.(Josué 3.13-17). A obediência libera o poder de Deus.

Deus espera que você aja primeiro. Não espere sentir-se poderoso ou confiante. Siga adiante na sua fraqueza, fazendo a coisa certa a despeito de seus medos e sentimentos. É assim que você coopera com o Espírito Santo, e essa é a forma que seu caráter se desenvolve.

A Bíblia compara o crescimento espiritual a uma semente, a uma edificação e a uma criança em crescimento. Cada metáfora exige uma participação ativa: sementes devem ser plantadas e cuidadas, edificações devem ser construídas — elas não aparecem simples­mente — e crianças devem comer e se exercitar para crescer.

Embora esforço não tenha nada que ver com salvação, está relaci­onado com o crescimento espiritual. Pelo menos em oito ocasiões no Novo Testamento recebemos a ordem de nos esforçarmos (Lucas 13.24; Romanos 14.19; Efésios 4.3; 2 Timóteo 2.15; Hebreus 4.11; 12.14 e 2 Pedro 1.5; 3.14) em nosso crescimento, até nos tornarmos semelhantes a Jesus. Você não fica apenas por ali, à espera de que isso aconteça.

Paulo explica em Efésios 4.22-24 os três deveres para nos tornar­mos semelhantes a Cristo. Em primeiro lugar, devemos abandonar nossa antiga maneira de agir: Tudo […] referente àquela antiga for­ma de viver tem de ir embora. Está completamente corrompida. Li­vrem-se dela! (Efésios 4.22)

Em segundo lugar, devemos mudar nossa forma de pensar: Deixe que o Espírito transforme sua maneira de pensar.(Efésios 4.23) A Bíblia diz em Romanos 12.2 que somos “transformados” pela renovação de nossa mente. A palavra grega para transformado, metamorphosis (usada em Romanos 12.2 e 2 Coríntios 3.18), é usada atualmente para descrever a fantástica transformação sofrida pela lagarta ao se tornar borboleta. É uma bela descrição do que acontece espiritualmente conosco quando permiti­mos que Deus dirija nossos pensamen­tos: somos transformados de dentro para fora, tornando-nos mais belos e sendo liberados para vôos mais altos.

Em terceiro lugar, precisamos “ad­quirir” o caráter de Cristo ao desen­volver hábitos novos e dignos de Deus. O caráter é basicamente a soma dos hábitos; é como você habitualmente age. A Bíblia diz em Efésios 4.24: … revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade.21

Deus usa sua Palavra, as pessoas e as circunstâncias para moldar você. Os três fatores são indispensáveis para o desenvolvi­mento do caráter. A Palavra de Deus supre a verdade que precisa­mos para crescer, os filhos de Deus suprem o apoio que precisamos para crescer e as circunstâncias suprem o ambiente que precisamos para pôr em prática as características de Cristo. Se você estudar e aplicar a Palavra de Deus, se reunir regularmente com outros crentes e aprender a confiar em Deus nos momentos difíceis, garanto que você se tornará mais parecido com Jesus. Veremos cada um desses ingredientes para crescimento nos capítulos a seguir.

Muitas pessoas presumem que tudo de que necessitam para cres­cer espiritualmente é estudo bíblico e oração. Mas algumas questões da vida nunca serão transformadas somente por estudo bíblico e oração. Deus usa as pessoas. Ele normalmente prefere operar por meio de pessoas a realizar milagres, de forma que dependemos uns dos outros para alcançar comunhão. Ele quer que cresçamos juntos.

Em muitas religiões, as pessoas consideradas mais santas e ma­duras espiritualmente são as que se isolam das outras em monastérios no topo de montanhas, afastadas do pernicioso contato com outras pessoas. Mas esse é um mal-entendido grosseiro. A maturida­de espiritual não é uma busca individual e solitária! Você não pode crescer à semelhança de Cristo em isolamento. Você deve ter pessoas à volta e interagir com elas. Precisa fazer parte de uma igreja e uma comunidade. Por quê? Porque a verdadeira maturidade espiritual diz respeito a aprender a amar como Jesus amou, e você não pode ser semelhante a Jesus na prática sem que haja relacionamento com outras pessoas. Lembre-se: está tudo em torno do amor — amar a Deus e amar os outros.

Tornar-se semelhante a Cristo é um lento e longo processo de crescimento.A maturidade espiritual não é instantânea nem auto­mática; é um desenvolvimento que durará o resto de sua vida. A respeito desse processo, Paulo disse em Efésios 4.13: Isso irá continuar até que seja­mos maduros como Cristo é, e seremos iguais a ele.

Você é um trabalho em execução. Sua transformação espiritual, no que se refere a desenvolver o caráter de Jesus, durará o resto de sua vida, e mesmo assim não será completada aqui na terra. Ela só estará terminada quando você for para o céu ou quando Jesus vol­tar. Naquele momento, qualquer componente não-resolvido em seu caráter será posto no mesmo pacote. A Bíblia diz que quando final­mente formos capazes de ver a Jesus em perfeição, nos tornaremos perfeitos como ele: Não podemos sequer imaginar como seremos quando Cristo voltar. Porém sabemos que, quando ele aparecer, sere­mos semelhantes a ele, pois o veremos como realmente é.(1 João 3.2)

Grande parte das confusões na vida cristã tem origem no desco­nhecimento da simples verdade de que Deus está muito mais inte­ressado em edificar seu caráter do que em qualquer outra coisa. Preocupamo-nos quando Deus parece silencioso a respeito de deter­minados assuntos, como: “Qual carreira eu deveria escolher?”. A ver­dade é que existem muitas carreiras diferentes, que poderiam estar de acordo com a vontade de Deus para sua vida. O que mais importa para Deus é que, seja qual for sua escolha, você a desempenhe com a postura de Cristo.(1 Coríntios 10.31; 16.14 e Colossenses 3.17,23)

Deus está muito mais interessado em quem você é do que no que você faz. Nós somos seres humanos e não fazeres humanos. Deus se preocupa muito mais com seu caráter do que com sua carreira, porque você levará o caráter para a eternidade, mas não a carreira.

A Bíblia adverte em Romanos 12.2: Não se tornem tão bem ajustados à sua cultura, à qual vocês se moldam mesmo sem pensar. Em vez disso, fixem sua atenção em Deus. Vocês serão transformados de dentro para fora […] Ao contrário da cultura que está ao seu redor, sempre conduzindo vocês para baixo, para o nível de imaturidade, Deus produz o me­lhor em vocês e desenvolve em vocês uma maturidade bem formada. É preciso que você tome uma decisão contra a sua formação cultural, para se concentrar em se tornar mais semelhante a Jesus. Caso contrário, outras forças, como amigos, pais, colegas de traba­lho e a cultura estabelecida, tentarão moldá-lo à própria imagem.

Lamentavelmente, um rápido exame em livros cristãos populares revela que muitos crentes abandonaram o modo de vida em razão dos grandes propósitos de Deus e contentaram-se com a estabilida­de emocional e a realização pessoal. Isso é narcisismo, e não discipulado. Jesus não morreu naquela cruz apenas para que pudésse­mos levar vidas equilibradas e confortáveis. O seu propósito é muito mais profundo: ele quer nos tornar como ele, antes de nos levar para o céu. Esse é nosso grande privilégio, nossa responsabilidade direta e nosso destino final.

Vigésimo Segundo Dia - Pensando sobre meu propósito

Um tema para reflexão: Fui criado para me tornar seme­lhante a Cristo.

Um versículo para memorizar: Conforme o Espírito do Senhor trabalha em nós, tornamo-nos mais e mais como ele e refletimos ainda mais a sua glória(2Coríntios 3.18; nlt).

Uma pergunta para meditar: No dia de hoje, em qual área de minha vida preciso rogar pela operação do Espí­rito Santo para me tornar mais semelhante a Cristo?

Trecho do Livro - Uma Vida Com Propósitos: Devocional - Rick Warren .

Nenhum comentário:

Postar um comentário