quarta-feira, 26 de abril de 2017

ESTRATÉGIAS PARA A PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS PSICOSSOCIAIS


(...)

A prevenção dos riscos psicossociais e do estresse no trabalho é um aspecto importante do objetivo principal da OIT, de promoção da saúde no local de trabalho. As medidas para a prevenção e gestão de riscos psicossociais abrangem iniciativas, estratégias e ações na prevenção do estresse no trabalho e a promoção da saúde mental dos trabalhadores.

Dentre outras iniciativas para ajudar os empregadores e os trabalhadores na prevenção e gestão do estresse no trabalho, foram deselvolvidas as seguintes: a) ferramentas de medição (principalmente baseado em questionário), visando a avaliação de riscos psicossociais e os níveis de estresse, individual e coletivo; b) ferramentas de gestão (incluindo orientações, plataformas on-line, fichas de informação e outros recursos).

A Organização Mundial de Saúde tem contribuído para a prevenção dos riscos psicossociais, através da publicação de pesquisas, orientações, ferramentas e outros recursos. O trabalho da OMS sobre a saúde ocupacional é regido pelo plano de ação Global para de saúde 2008-2017 trabalhadores que especifica ações de promoção da saúde no local de trabalho, afirmando que a avaliação e gestão de riscos deve ser melhorada, definindo as intervenções essenciais para a prevenção e controle de riscos mecânicos, físicos, químicos, biológicos e psicossociais no ambiente de trabalho.

As instituições nacionais de vários países desenvolveram modelos de monitoramento, avaliação de riscos e ferramentas de gestão, e outras iniciativas de sensibilização para ajudar a compreender e prevenir o estresse relacionado com o trabalho. Entre os modelos de monitoramento, o Copenhagen Psychosocial Questionnaire (COPSOQ) desenvolvido em 1997 pela Centro Nacional de Investigação para o Ambiente de Trabalho da Dinamarca, foi o primeiro a incluir valores de referência de base populacional para avaliar a necessidade de ação e de apoiar o processo de tomada de decisões em medidas preventivas no local de trabalho.

A Confederação Sindical Internacional (CSI) no seu Congresso sobre Resoluções do Trabalho Digno de 2010, chamou as suas organizações membros, parceiros e afiliados para trabalhar com a OIT para fazer campanha para a extensão da proteção social a todos, incluindo a prevenção de exposição a produtos químicos perigosos, riscos psicossociais e lesões e acidentes ocupacionais.

Um programa de trabalho eficaz para prevenir o estresse no trabalho exige a identificação adequada dos riscos psicossociais. A avaliação deve ser feita de forma sistemática e os trabalhadores devem ser convidados a expressar sua preocupação sobre qualquer situação que pode estar causando o estresse no trabalho.

As medidas preventivas específicas destinadas a reduzir o potencial de consequências para a saúde mental dos riscos psicossociais no trabalho relacionados a estresse devem ser colocada através de uma abordagem de gestão de risco, garantindo práticas preventivas e incorporação de medidas de promoção de saúde, envolvendo dentre outros aspectos, os seguintes: prevenção ocupacional, bem como lesões ocupacionais; melhoraria das condições de trabalho e organização do trabalho; incorporação dos riscos psicossociais na avaliação dos riscos e medidas de gestão e implementação de medidas preventivas coletivas, adaptando a organização do trabalho e as condições de trabalho; construção de sistemas de apoio sociais para os trabalhadores no local de trabalho; e avaliação das necessidades da organização levando em consideração o indivíduo.

A participação dos trabalhadores na identificação dos riscos psicossociais é fundamental, como forma de estabelecer prioridades de intervenção.

A OIT propõe como objetivos de ação nesta temática, os seguintes: apoio às iniciativas de pesquisa e parcerias estratégicas, para investigação, ações de sensibilização, educação, partilha de boas práticas e desenvolvimento de competências globais; harmonização das listas nacionais de doenças; integração da avaliação dos riscos psicossociais em sistemas de gestão da saúde e segurança do trabalho; ampliação do diálogo social sobre prevenção do estresse no trabalho e promoção da saúde, em colaboração com Organização Mundial de Saúde.
(...)

Leia a íntegra do artigo no link indicado na referência abaixo:

GONDIM, Andrea da Rocha Carvalho. Estresse no local do trabalho e o direito à saúde do trabalhador. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 22, n. 5046, 25 abr. 2017. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/57130>. Acesso em: 26 abr. 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário