quarta-feira, 24 de maio de 2017

Livros que todo aluno da Harvard Law School lê

Estes livros fazem parte do currículo de umas das faculdades de Direito mais respeitadas no mundo.

POR LUCIANA CACZAN

Aqueles que almejam a carreira de advogado sabem que a leitura é parte fundamental da faculdade de direito. Na Harvard Law School, uma das faculdades de Direito mais respeitadas do mundo, a carga de leitura é algo que chega a cerca de mil páginas por semana.

Para alguns, isso pode ser muito, mas o futuro advogado compreende que informação é poder e, por isso, as leituras exigidas pelas disciplinas devem ser levadas a sério.

Enquanto nos Estados Unidos o sistema vigente é a lei comum (common law), no Brasil, o sistema é a lei civil (civil law). Isso significa que, nos Estados Unidos, o Direito é baseado mais na jurisprudência e menos nos textos da Lei, ou seja, no desenvolvimento judicial de um caso, os envolvidos procuram casos semelhantes ao longo da história judicial do país para dar apoio aos seus argumentos, sem se ater literalmente aos que os códigos ditam.

A lista de leitura de Harvard

As leituras essenciais da Harvard Law School não são apenas para advogados, pois abrangem desde a Liderança à Filosofia Política. Veja abaixo os cinco livros essenciais para quem passa pela instituição:

1. The Critical Legal Studies Movement (Roberto Mangabeira Unger)

O livro de autoria do jurista brasileiro, que faz parte do corpo docente da instituição, é destaque na lista da Harvard Law School. A publicação foge do tradicional ao seguir uma interpretação politicamente engajada do Direito.

A obra, publicada em 1983, permanece um clássico e importante para os alunos americanos de direito.

2. Letters to a young lawyer (Alan Dershowitz)

O livro, publicado em 2001, trata sobre a carreira na advocacia com algumas perguntas básicas, como “o que significa ser um bom advogado”. Ao longo do livro, o autor retrata a desilusão de muitos profissionais sobre seus ofícios e ensina os futuros advogados a se aperfeiçoarem na profissão.

3. Justice: what’s the right thing to do? (Michael J. Sandel)

O professor Sandel usou a sua experiência como professor da Harvard School para organizar essa obra. Ele aponta que definir o que é certo e errado é complexo.

O professor Sandel é conhecido por trazer situações hipotéticas e controversas para as suas aulas, o que exige um questionamento moral mais profundo de seus alunos.

4. The lawyer as friend: the moral foundations of the lawyer-client relation (Charles Fried)

Harvard somente liberou este livro sobre a ética profissional após uma mobilização dos próprios alunos para torná-lo acessível. Nele, o autor questiona se é possível ser um bom advogado e uma boa pessoa, pois os advogados são confrontados com representações legais de pessoas que cometeram crimes.

5. One L: the turbulent true story of a first year at Harvard Law School (Scott Turow)

Scott Turow já é um velho conhecido da literatura e, certamente, este livro foge da lista geral de Harvard. O autor, que foi aluno da instituição, fez uma autobiografia e relata os momentos mais marcantes de seu primeiro ano na instituição.

A leitura traz uma ambientação da década de 1970 e é bastante valiosa par entender a cobrança dos alunos de uma das universidades mais respeitadas e prestigiadas do mundo.

http://blog.examedaoab.com/posts/direito/livros-que-todo-aluno-da-harvard-law-school-le/120

Nenhum comentário:

Postar um comentário