segunda-feira, 20 de novembro de 2017

COMBATENDO OS LADRÕES DA ALEGRIA

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos”. Filipenses 4:4 
 

Introdução: Gostaria de falar sobre um assunto extremamente importante para a nossa vida cristã cujo tema é: COMBATENDO OS LADRÕES DA ALEGRIA.

Ao escrever a epístola aos filipenses, Paulo se encontrava preso, correndo risco de vida, distante de muitos irmãos e amigos e em dificuldade financeira. Na carta, ele fala da morte várias vezes: 1.20; 2.8; 2.27; 2.30; 3.10. Entretanto, a principal ênfase desta carta é na alegria cristã em meio ao sofrimento.

Entendermos esta alegria nos ajudará a enfrentarmos os ladrões da alegria!

Creio amados, que um dos piores sentimentos que podemos ter é o sentimento em decorrência de sermos roubados. Só quem passou por esta experiência sabe o que estou falando. Esta é uma experiência que causa terríveis traumas dependendo do grau de violência que se experimentou ou do tamanho do prejuízo que se teve.

Ainda hoje, lembro-me da minha primeira experiência de ser roubado; aconteceu ainda na minha infância quando tinha apenas oito anos de idade. Ganhei de minha mãe uma bicicleta novinha no natal. No entanto, deixei um adolescente desconhecido dar uma volta nela em troca de um algodão doce. Ele desapareceu com a bicicleta...O sentimento de perda me trouxe uma enorme tristeza na época.

No capítulo 10 de João, está escrito que satanás veio somente para matar, roubar e destruir. Ele é perito nisso! Se você já foi roubado deve saber como esse sentimento de perda é ruim. O que você acha que satanás veio roubar?

Ele veio roubar-  Sonhos, famílias, saúde, casamentos, a paz e a esperança. Sim, mas na verdade, todas essas coisas são consequências do roubo do diabo. Satanás veio roubar, matar e destruir a vida de Deus no homem.

Mas nesta noite eu quero falar de um tipo de roubo que não é financeiro, material ou humano.  O tipo de roubo que desejo ministrar nesta noite é o roubo de nossa alegria.  Por isso o tema: COMBATENDO OS LADRÕES DA ALEGRIA.

Creio que se há algo que Deus quer que seus filhos tenham é, alegria! 

João 15:11 - "que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa”

Neemias 8:10 – “A alegria do Senhor é a nossa força” 

Lucas 10:20 – “Alegrai-vos, porque vosso nome está escrito no céu”

Existem quatro situações onde a nossa alegria pode ser roubada.

1. AS CIRCUNSTÂNCIAS. (Filipenses 1:12-14)
“Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho; de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais; e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus”.

Ele não aceitou ser uma vítima das circunstâncias!!

Paulo está dizendo que sua circunstancias ou problemas e as provas não foram para feri-lo, mas para o progresso do Evangelho. 

- Ele não era um prisioneiro de Roma, ele era um prisioneiro de Jesus Cristo. 

- As circunstâncias na vida de Paulo não o levaram ao desânimo, mas o levaram a fazer mais por Cristo! 

- Se você é um verdadeiro filho de Deus, você vai ter problemas, provações ou circunstâncias! 

- Enquanto tudo está indo bem eles estão OK, mas quando os problemas vêm eles ficam desanimados e desistem!  

- Paulo não olhou para Cristo através de suas circunstâncias - ele olhou para sua circunstancia através de Cristo! 

- Paulo disse em Romanos 8:28 – “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. 

- Quando as coisas correm mal, o cristão fica triste! Não deixe as circunstancias roubar a sua alegria! 

- Tiago 1:2 – “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,”

2. AS PESSOAS. ( Filipenses 1:15-18)
1.15   Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade;
1.16   estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho;
1.17   aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulação às minhas cadeias.
1.18   Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei.

- Todos nós uma vez ou outra perdemos nossa alegria por causa de pessoas!  

- Nos importamos demais com:

- O que as pessoas são! - O que elas dizem! - O que elas fazem! 

- E, sem dúvida, nós também temos causado tristeza em alguém! Funciona nos dois sentidos! 

- Nós somos a luz do mundo e o sal da terra... mas às vezes a luz fica fraca e o sal torna-se amargo por causa das pessoas! 

Filipenses 2:2-3 – “completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo”.

Não deixe as pessoas roubar a sua alegria!

3. COISAS (Filipenses 3:4-8)
3.4   Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais:
3.5   circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu,
3.6   quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.
3.7   Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo.
3.8   Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo

Coisas que consideramos importante=  fama, prestígio e poder!

- Eu considero tudo como perda por Jesus! 

- Entrevista com Mario Conti- Globo News - entrevista o empresário Ricardo Semler. 

- Ele dizia que na verdade o sistema politico que rege o mundo não é a democracia ou o socialismo, mas a monarquia onde o REI É O DINHEIRO. Onde todos se curvam para ele...

Jesus disse sobre este Rei: Mateus 6.24   “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” .(riquezas)

MAMON é o príncipe deste mundo e “senhor” da riqueza, avareza, luxúria e dos prazeres deste mundo. Esse “deus” inspira o homem a ambição e avareza, e direciona o coração do homem apenas para as coisas materiais, terrenas e malignas, as quais Deus abomina.

Hoje, o grande propósito do homem é a prosperidade material a qualquer custo, e muitos pregadores impulsionam os fieis para isso, induzindo-os ao pecado pela avareza pelas coisas terrenas.

- As coisas deste mundo nunca vão fazer você feliz! 

- Jesus nos advertiu sobre juntar tesouros na terra... “Ele nos ensinou a acumular tesouros no céu, porque onde estiver o vosso tesouro, aí é onde está seu coração!” 

- Filipenses 4:11 – “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” 

- Não deixe as coisas roubar a sua alegria!

4. A ANSIEDADE – (Filipenses 4:6,7)
“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.

Além de afetar a nossa saúde, ansiedade nos rouba a paz e a alegria. Além disso, ela  pode nos levar até mesmo a pecar pelos seguintes motivos:

(1) O ansioso tende a duvidar das promessas de Deus;
(2) O ansioso toma decisões precipitadas e age sem a direção de Deus;
(3) O ansioso não sabe esperar o tempo certo e a hora certa de agir;
(4) O ansioso pode ter a compulsão de gastar, comer e conquistar coisas desnecessárias e refugiar-se nestas coisas em busca de satisfação.
(5) O ansioso pode desespera-se a ponto de não ter mais fé;
(6) O ansioso tende a oprimir as pessoas a sua volta, obrigando-as a conseguir o quer; (7) O ansioso tem o famoso “pavio curto”; o nervosismo é a sua marca.

Pensamento: “Uma pessoa ansiosa olha para uma casa de cupim e pensa que está diante de uma montanha intransponível.”.

Conclusão: Habacuque 3:17-19 “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente”.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder

Fonte: https://prgilbertorehder.blogspot.com.br/2017/11/combatendo-os-ladroes-da-alegria.html?spref=fb

Divulgando: Aula inaugural gratuita - DIREITO CONSTITUCIONAL - OAB 2ª FASE

Curso: XXIV OAB Segunda Fase - Direito Constitucional - Presencial
Período: 22.11.2017 a 19.01.2018
Dias: Segundas, Quartas e Sextas
Horários: Turma manhã: 8h às 11h35 e Turma noite: 19h às 22h35
Carga Horária: 92 aulas.
Local: CAD - Rua Paraíba, 1352 - 3o andar - Savassi - (31)3282-3352
Professor: Tiago Torres - Advogado, Professor de Direito Constitucional - Diretor Pedagógico do Aprovarium
INVESTIMENTO: R$ 599,00 ou 3 parcelas de R$200,00
Aula Inaugural Grátis: 22.11.2017 - reserva por telefone.
Descrição: O curso visa preparar os alunos para a Prova Prático-Profissional, consistindo numa metodologia voltada para a produção de peças processuais constitucionais e seus respectivos recursos, bem como a dissertação de questões abertas, seguindo o estilo de cobrança da Fundação Getúlio Vargas.
O curso é ministrado pelo Professor e Advogado Tiago Torres e é composto por:
  • AULAS DE ORIENTAÇÕES GERAIS: O Professor Tiago Torres explicará os aspectos formais e procedimentos durante a prova, ou seja, o que pode ou não pode ser feito, quais materiais podem ser levados, bem como podem ser marcados. Nessas aulas ainda, fará marcações de artigos e irá ensinar de modo geral como se estrutura uma peça processual.
  • AULAS DE DIREITO MATERIAL: São aulas teóricas dos pontos constantes do programa de Direito Constitucional para a prova Prático-Profissional, estabelecido no edital publicado.
  • AULAS DE OFICINAS DE PEÇAS: Consistem em ministrar todas as peças processuais possíveis de serem cobradas na prova Prático-Profissional de Direito Constitucional, com aulas de preparação e planejamento e feitura das peças (do Excelentíssimo... até Advogado... OAB...).
  • AULAS DE QUESTÕES ABERTAS: Serão aulas de resolução de questões abertas de provas anteriores. 
  • AULAS DE ENFRENTANDO A PROVA: São aulas de correções das peças de provas anteriores, demonstrando para o aluno o estilo de cobrança e as pegadinhas da FGV.
  • AULAS DE PRÁTICA PROCESSUAL: Abordagem das peças em conformidade com o Novo CPC e sua aplicação voltada para a prova Prático-Profissional.
  • CONCENTRANDO NA PEÇA: Aula de revisão às vésperas da prova com a finalidade de demonstrar as principais características de cada peça, como forma de identificação. 
  • SIMULADOS: Consiste na aplicação de simulados, no padrão da prova (até o formato da parte gráfica da prova) e correção individualizada.
  • DÚVIDAS: As dúvidas serão remetidas via número fornecido em aula, pelo whatsapp, respondido diretamente pelo Professor e Coordenador do Curso - Tiago Torres ou em sala de aula.
MATERIAIS: - Apostila I - Peças do Controle Concentrado - Apostila II - Pecas dos Remédios Constitucionais - Apostila III - Peças dos Recursos - E-Book de Direito Constitucional - Direito Material - Mapas Mentais - E-Book de Súmulas do STF, todos de modo, online
 http://www.cadireito.com.br/cad/preparatorios/direito-constitucional-oab-2-fase

Mais vida em família é igual a menos tempo de telas

Publicado em 12-11-2017

O que as crianças estão vendo no celular, na TV, no computador e nos tablets? Além do tempo em frente às telas, seus filhos brincam com outras crianças, correm no pátio, parecem saudáveis? Quando o assunto é infância e tecnologia, mais do que contar o tempo dos pequenos com os eletrônicos, é fundamental ver se eles parecem crianças felizes em todos os aspectos da vida. Você já refletiu sobre isso?

A ideia de restringir o tempo de tela das crianças ganhou força em 1999, quando a Academia Americana de Pediatria sugeriu que os pais limitassem em duas horas no máximo o uso de aparelhos eletrônicos para crianças com menos de dois anos de idade. A grande questão, segundo especialistas, é que os próprios adultos, que desejam restringir o tempo de telas dos pequenos, também passam cada vez mais online. O que deixa uma reflexão: será que o problema é a tecnologia em si ou o tempo em família, fazendo algo bacana, que cada vez mais é reduzido?

A cada nova geração, as crianças ficam cada vez mais em casas, em espaços privados. Cada convite para sair, brincar na rua e se socializar com outras crianças acaba sendo um problema para os pequenos, que demonstram interesse em ficar conectados aos aplicativos.

Mas como os pais podem, então, lidar com o uso de mídia de seus filhos? Como sempre, não tem regra e nenhum conselho de especialistas deve superar as experiências reais e cotidianas que os pais têm com seus próprios filhos. Dito isto, existem algumas diretrizes gerais que podem ajudar.

1) Os pais precisam estar atentos menos ao tempo que as crianças passam nas telas e mais ao que eles acessam. Existem muitos conteúdos online e é preciso se informar se são educativos ou prejudiciais aos pequenos.

2) Os adultos devem se perguntar se a infância dos filhos é saudável. Eles estão socialmente envolvidos, estão bem na escola e geralmente felizes? Se assim for, provavelmente não há necessidade de impor duras restrições à tecnologia. Caso contrário, é melhor não se precipitar em conclusões sobre os males inerentes à tecnologia. Tenha uma conversa com as crianças sobre o que estão fazendo e o que elas pensam que as regras devem ser. Cortar unilateralmente as crianças sem entender seus problemas geralmente pode piorar as coisas.

3) Finalmente, é preciso lembrar que não há substituto para uma relação significativa e solidária entre pais e filhos. Com um relacionamento estável e confiável, que contempla passeios, olho no olho, carinho, diálogo, brincadeiras com outras crianças e ao ar livre, mesmo as experiências negativas online podem se tornar experiências de aprendizado positivas.

Interessante, não é?

Fonte: http://www.primistili.com.br/mais-vida-em-familia-e-igual-a-menos-tempo-de-telas

O desafio de conciliar faculdade e maternidade

Publicado em 14-11-2017

Você estuda e é mãe ao mesmo tempo? Já pensou em desistir de tantas jornadas? Pois saiba que você não está sozinha. Apesar de as mulheres se sentirem cobradas para serem super-mães, a realidade dentro das universidades ainda é pouco amistosa para acolher as necessidades de estudantes com filhos.

“Vivemos um momento de invisibilização do fenômeno de ser mãe no Ensino Superior. Quando há pesquisas que abordam o tema da evasão universitária, não se faz o recorte de gênero”, afirma a advogada especializada em casos de família e doutoranda pela UFPR, Andressa Regina Bissolotti dos Santos.

Entre eles, a advogada aponta a situação de alunas que dependem das casas estudantis, onde não há espaço para mães ou que proíbem, em seu estatuto, a vivência dos filhos durante o período de residência de mães e pais no local.

“A vida acadêmica é extremamente acirrada, pensada para padrões masculinos, pessoas que estão concentradas na própria carreira”, diz.

Apesar de algumas leis tratarem do tema e parte do auxílio estar prevista nos regimentos internos de cada universidade ou instituição de ensino, muito do suporte encontrado pelas estudantes que são mães está na auto-organização. É nesse contexto que surge a rede de apoio Mães na Universidade, de São Paulo. Para Fernanda Vicente, mãe e fundadora do coletivo, a sociedade romantiza a maternidade.

O grupo conta com voluntárias e envolve todo o tipo de ajuda: da carona solidária até formatar um trabalho da faculdade ou cuidar de alguma criança. Durante todo o ano, também disponibiliza apoio psicológico gratuito. São cerca de 10 a 15 mulheres atendidas todo o mês.

“Uma mãe que não consegue frequentar uma escola, concluir o Ensino Médio ou a graduação acaba sendo segregada de importantes espaços sociais e tendo alguns direitos negados”.

Você sabia?

- A Lei 6.202, de 1975, regulamenta o regime domiciliar para estudantes, garantindo um afastamento de três meses, a partir do oitavo mês de gravidez. O período de afastamento, no entanto, é determinado por atestado médico, apresentado à direção da escola. A licença-maternidade também não garante, por exemplo, abono de faltas.

- Apesar da escolaridade das mulheres ser mais alta, a jornada também é. De acordo com o estudo Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, divulgado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), as mulheres trabalham, em média, 46,1 horas por semana, incluindo trabalho remunerado e não-remunerado. São aproximadamente 7,5 horas a mais que os homens no mesmo período.

- Desde maio de 2017, uma portaria do Ministério da Educação garantiu o direito à amamentação nas escolas, universidades e outras instituições federais de ensino, mesmo se não houver equipamentos ou ambientes exclusivos para esse fim.

E você? Quais as dificuldades que enfrenta? Conta pra gente!

Fonte: http://www.primistili.com.br/o-desafio-de-conciliar-faculdade-e-maternidade